É… Fazem 4 meses amanha.

Devo ter envelhecido alguns anos nesses meses, mas isso faz parte do crescimento pessoal.

Estava revendo algumas fotos nossas – por acaso –  e tudo o que bloquiei nesse tempo todo veio como uma enxurrada. É difícil dizer ao certo o tipo de sentimento que ainda me resta. Como disse anteriormente esta trancado no fundo da mente.

Não culpo aqueles que me deixaram, por ser um direito deles, porém ainda assim, certas feridas permanecem, abertas, como se fosse ontem.

Me culpo sim por uma pergunta tola que desencadeou tudo isso, uma pergunta displicente que no fim das contas me mostrou o quão tolo e imaturo eu era(?) ou ainda sou.

Ao desejar mais do que me era oferecido não percebia que o que eu tinha co migo era mais do que o necessário Talvez se eu pudesse conversar contigo novamente, os dois desarmados e livres eu pudesse tentar me explicar e entender.

Porém eu vejo que o grande vilão dessa historia, na verdade de todas as minhas historias, sou eu mesmo. Um tolo “mocinho” que ao cair da noite se torna o piro dos vilões, como dr Jekyll and mr Hyde.

Não eu não te culpo, assim como talvez eu também não me culpe mais, mas isso não me impede de sentir a sua falta e desejar qualquer vinculo por mais efêmero que eu ainda possa obter.

E no fim das contas, ao fechar os olhos no fim da noite, ainda tenho a visão de suas mãos juntas sobre o colo, sua leve inclinação na minha direção, seu maio sorriso no rosto, a sensação do seu beijo, seguindo de um carinhoso “bobo”…

Só sei que sinto a sua falta.

Anúncios